Actualice su navegador
ir al contenido

Rochester Hotel - classic

Puerto Madero

Os imperdíveis do bairro mais novo da cidade:

1. Escola de Belas artes da Cárcova, Tristán Achával Rodríguez 1701
Além de oficinas e salões de aula, é a sede do Museu de Calcos (Decalcos), onde se exibem reproduções a tamanho natural de esculturas clássicas. No parque interior –com uma fonte mourisca e árvores velhos – funciona uma churrascaria. 
 
2. Fonte das Nereidas. Tristán Achával Rodríguez 1600
Obra de 1903 da escultora tucumana Lola Mora, representa o nascimento de Vênus. Estava destinada à Praça de Maio, mas os nus causaram polêmica e foi localizada na Avenida Leandro N. Alem, onde esteve durante quinze anos, quando foi transladada para a Costanera Sur. Está realizada em mármore da Carrara. 
 
3. Reserva Ecológica, Tristán Achával Rodríguez 1550
Sem intervenção humana, a fauna e flora locais foram colonizando to aterro durante a década de 1970. Em 1986, o governo portenho lhe deu à zona a categoria de Reserva ecológica. A cinco minutos do centro de Buenos Aires, tem uma superfície de 350 hectares. Está coberta por capim-dos-pampas e bosques de amieiros e salgueiros. Hospeda centenas de espécies de aves, mamíferos, anfíbios e répteis. Há passeios guiados durante o dia e a noite. 
 
4. Costanera Sur, Azucena Villaflor com Tristán Achával Rodríguez
Em 1918 se inaugurou neste lugar o Balneário municipal. Um comprido espigão separava as zonas onde tomavam banho homens e mulheres, segundo os regulamentos da época. A Costanera se converteu em um dos passeios preferidos dos portenhos. A partir da década de 1950, devido à contaminação do Rio da Prata, o balneário começou a perder popularidade. 
 
5. Edificio Malecón, Dique 1
Construído em 1999, foi projetado por um dos estudos de arquitetura mais importantes dos Estados Unidos. Trata-se de uma torre de 12 andares de escritórios. 
 
6. Igreja Nossa Senhora da Esperança, Dique 2
Pertence à Prefeitura Naval Argentina. Desenhada pelos arquitetos Poli, Casano e Zubillaga, foi inaugurada em 1996. É de planta redonda ao igual à Igreja da Imaculada Concepção, em Belgrano. 
 
7. Molino Portenho, Dique 2
Na margem Leste do dique está localizado o Molino portenho, cuja construção data de 1891. Elaborou farinhas até 1956. Seu estilo é expoente da arquitetura funcional portuária e foi declarado parte do patrimônio nacional. 
 
8. Monumento ao tango, Dique 2 
 
9. Edificio Molinos Río de la Plata, Dique 3
Terminado em 1902, acompanhou a época mais próspera do porto de Buenos Aires. Os silos de canos telescópicos permitiam organizar a carga e descarga de produtos segundo o tempo de armazenagem. 
 
10. Navio Museu Fragata Sarmiento, Dique 3
Foi um dos navios-escola da Armada. Construiu-se na Inglaterra em 1898 por pedido do governo argentino. Fez 39 viagens através de todos os mares do mundo. 
 
11. Ponte da Mulher, Dique 3
É obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava. A ponte gira 90 graus para permitir o passo dos navios. A construção levou 12 meses e finalizou em 2001. 
 
12. Monumento a Cristóvão Colombo e Parque Colón, Avenida de la Rábida
Sua construção foi impulsionada por Antonio Devoto, um próspero imigrante italiano, com motivo do centenário da independência argentina. A obra é do escultor Arnaldo Zocchi. Inaugurou-se em 1921.
A figura de Colombo –em mármore de Carrara– pesa 38 toneladas e mede 6, 25 metros de altura.
O monumento conserva rastros dos projéteis disparados durante ao bombardeio à Praça de Maio de 1955, quando aviões da Marinha tentaram destituir pela força o presidente Perón. 
 
13. Pavilhão das Artes –UCA, (Edif. Sta. María de los Buenos Aires), Passeio Juana M. Gorriti 1300
A Universidade Católica Argentina inaugurou este Pavilhão, que conta com 400 metros quadrados, dedicado a distintas amostras da plástica argentina.
Horário: terças-feiras a domingos de 11 a 20 horas. Informações: 4338-0667 

14. Antena Monumental ou Mastro dos Italianos, Avenida de los Italianos com Güemes
No centro da praça se encontra esta coluna rematada por uma réplica do leão alado de São Marcos, em Veneza. A obra, doação do governo italiano, é ponto de encontro para atos dos italianos na cidade. 
 
15. Estação Puerto Madero, Perón com Avenida Alicia Moreau de Justo
À estação chega um serviço de trens de alta categoria (com ar condicionado e música funcional) que aproveita um túnel de 1912 que une o porto com o Oeste de Buenos Aires. 
 
16. Navio Museu Corveta Uruguay, Dique 4
Foi construída em estaleiros britânicos e adquirida em 1872 pelo presidente Sarmiento. Entre 1898 e 1961 foi o navio-escola da Armada Argentina. Tem 85 metros de comprimento e 13,3 metros de manga. Em 1901 se encaminhou à Antártida para resgatar a expedição sueca do Antartic, que tinha naufragado aprisionada pelo gelo. 
 
17. Yacht Clube Puerto Madero, Dique 4
Inaugurou-se em 1997. Foi projetado por Camper, uma companhia inglesa dedicada à construção portuária desde 1782. Seu Club House flutuante tem 2.000 m2 e três andares. Suas 250 amarras oferecem serviço de eletricidade, água potável, televisão por cabo, telefone, serviço de limpeza, manutenção e reparação náutica. 
 
18. Centro de Informação Turística, Dique 4
Um dos sete centros de atenção ao turista do governo portenho. Oferece mapas, guias e folhetos em distintos idiomas. 
 
19. Yacht Club Puerto Argentino, Dique 4
Escola de yachting 

20. Edificio Bank Boston, Della Paolera 265
No hall pode ver-se um mural de 5,5 por 12 metros do pintor argentino Guillermo Roux, terminado em 2005. A obra demandou quatro anos de trabalho e Roux a realizou com a colaboração de sua ajudantes Marinha Curci e Laura Olalde. 

Subir