Actualice su navegador
ir al contenido

Rochester Hotel - classic

San Telmo

É um dos bairros mais antigos da cidade, foi habitado pelas famílias mais ricas até que a epidemia da febre amarela de 1871, obrigo-as a mudar-se para o norte; com o tempo, sua fisionomia foi mudando, até se transformar em um passeio obrigado, onde podem se apreciar as valiosas obras de arquitetura de tempos anteriores.

1. Secretaría de Agricultura, Pecuária e Pesca, Av. Paseo Colón 922
A edificação é uma obra dos escritórios Andrés Vanelli e Hijos y Kimbau y Cía. Os prédios são de estilo neogótico, localizados em uma Avenida, e possuem a monumentalidade estabelecida para as obras públicas do final do século XIX e início do século XX. 
 
2. Faculdade de Engenharia, Av. Paseo Colón 850
É um edifício do neoclássico que reproduz o prédio da Faculdade de Direito. É o resultado da concepção arquitetônica do estado de meados do século XX. Aqui funcionou a Ex-fundação María Eva Duarte de Perón. 
 
3. Monumento "Canto al Trabajo". Av. Paseo Colón 800
É uma obra do escultor argentino Regelio de Yrurtia (1879-1950). Trata-se de um grupo escultórico de 14 figuras humanas de bronze. 
 
4. Passagem San Lorenzo, Estados Unidos com Balcarce
Nesta passagem de dois quarteirões de comprimento pode-se visitar “Los Pátios de San Telmo” e um casarão típico do século XVIII, onde se encontram ateliês de artistas e artesãos. 
 
5. La Casa Mínima, San Lorenzo 380
A fachada tem apenas 2,2 metros de largura. É a parte que resta de uma construção da segunda década do século XIX. Antigamente, era muito comum que este tipo de adições das casas fossem habitadas pelos escravos da família. 
 
6. Bar Sur, Estados Unidos com Balcarce
Começou a funcionar no ano 1967 e foi pioneiro nos espetáculos noturnos de Buenos Aires. 
 
7. Igreja Dinamarquesa, Carlos Calvo 257
A torre e os tetos correspondem aos conceitos do estilo neogótico. A obra foi realizada com planos dos arquitetos dinamarqueses Rönnow e Bisgaard. Foi inaugurada em 1931. 
 
8. Casa de Juan Carlos Castagnino, Balcarce 1016
Esta casa, junto com a casa vizinha da esquina, datam do final do século XVIII. Nela, morou o artista Juan Carlos Castagnino (1908-1972), pintor renomado que se destacou na ilustração que fez da edição, de 1963, do Martín Fierro. 

9. Galería do "Viejo Hotel", Balcarce 1053 
Construída cerca de 1890 como hotel, ao ser o bairro declarado “zona histórica” (1979), foi transformado em galeria de arte e em ateliê de pintores e escultores. 
 
10. Antigua Tasca de Cuchilleros, Carlos Calvo 319
Os aposentos da frente datam do final do século XVIII. O resto do edifício corresponde ao século posterior. Atesoura uma trágica história de amor. Nela, morava Margarita, a filha do Sargento Oliden, mazorquero (...) do governador Juan Manuel de Rosas. O pai pretendia que a filha se casasse com Ciriaco Cuitiño, chefe dos Mazorqueros. Contudo, ela fugiu com o “payador” do qual estava apaixonada, até que foram encontrados por cuitiño na localidade de Luján. Ele disparou contra Margarita que voltou ao seu lar para morrer. Na atualidade funciona um restaurante. 
 
11. Casa de Esteban de Luca, Defensa com Carlos Calvo
A casa é do final do século XVIII e nela viveu Esteban de Luca, militar, poeta e jornalista. Participou ativamente durante as invasões inglesas (1806-1807), como subtenente do “Batallón 3 de Patrícios”. Foi reciclada conservando elementos arquitetônicos da época. Hoje, funciona um restaurante. É Monumento Histórico Nacional. 
 
12. Mercado de San Telmo, entre as ruas Bolívar, Carlos Calvo, Defensa, Estados Unidos.
A fachada possui características de estilo italianizante e o interior é uma excelente estrutura de ferro com tetos de latão e vidro. Foi inaugurado em 1897. Arquiteto: Juan Antonio Buschiazzo. 
 
13. Galería Solar de French, Defensa entre Humberto 1º e Carlos Calvo.
Foi o solar onde morou o patriota Domingo French. O corpo da frente é dos anos 1900- 1910 e os outros são da década de 1930. 
 
14. Praça Dorrego Entre Humberto I, Defensa , Anselmo Aieta e Bethlem.
Declarada Lugar Histórico Nacional. É a praça mais antiga depois da Praça de Maio. Nos domingos, das 10 às 17 horas funciona uma grande feira de antiguidades. 
 
15. Museu Penitenciário Argentino "Antonio Ballvé" Humberto 1º 378 
O edifício é do ano 1760 e os planos foram realizados pelo arquiteto Antonio Masella. Originalmente, foi a Casa de Exercícios Espirituais para homens. Quando os jesuitas foram expulsos no ano 1767, o local passou a depender do Cabildo. Mais tarde e até 1974 foi destinado para Cárcere de Mulheres, a cargo da ordem do Bom Pastor e do Serviço Penitenciário. Quando esta ordem se retirou no ano 1974 ficou a cargo do Serviço Penitenciário até o ano 1978, em que a cárcere de mulheres foi transferida para a localidade de Ezeiza. No interior, encontra-se a capela de Nuestra Señora del Carmen, uma construção do año 1734. 
 
16. Igreja Nuestra Sra. de Belén - Parroquia de San Pedro Telmo, Humberto 1º 340
A igreja começou a ser construída no final de 1734 com o projeto do arquiteto jesuíta Andrés Blanqui e a intervenção de Juan Bautista Prímoli e de José Schmidt, que continuaram a obra do mestre italiano Antonio Masella, sendo a última restauração realizada em 1918 pelo arquiteto Pelayo Sáinz. A fachada é de estilo eclético e apresenta elementos arquitetônicos de estilo neocolonial. Na parte superior está a imagem de San Pedro González Telmo. É Monumento Histórico Nacional. 
 
17. Protomedicato (Atual Escola Guillermo Rawson), Humberto 1º 343 
Foi a primeira escola de Medicina em Buenos Aires (1858). A partir de 1866, passou a depender da Secretaria da Educação. Sua arquitetura conta com elementos neocoloniais. As magnólias que há na entrada são dessa época. 
 
18. Passagem La Defensa, Defensa 1179 
É um tradicional casarão da década de 1880, que foi residência da família Ezeiza. Possui dois andares, compostos por vários aposentos que dão para uma galeria lateral. Atualmente, funciona uma galeria comercial com lojas de antiquários, indumentária de outras épocas, quadros, lembrancinhas, etc. 
 
19. Museu de Arte Moderna do Governo da Cidade, Avenida San Juan 350
Antigamente, era um depósito da fábrica de cigarros “43”. O edifício é de 1918 e foi reciclado, mas conservou sua arquitetura original de estilo utilitário. O museu exibe exposições de artistas plásticos contemporâneos. 
 
20. "Museo del Cine" (Museu do Cinema), Defensa 1220 
O museu abre das terças-feiras às sextas-feiras das 10 às 17 horas. Conta com uma cineteca e coleções de cartazes, vestuário, fotos e documentos. 
 
21. “Ex fundación San Telmo”, Defensa 1344
O casarão foi construído cerca de 1860, e reformado por Osvaldo 
Giesso na década de 1980. Atualmente, estão funcionando uma galeria de arte e uma escola de teatro. A fachada é réplica de uma casa do século XVIII cujos planos estão no Arquivo Geral da Nação. 
 
22. Igreja Ortodoxa Russa da Santíssima Trindade, Brasil 315 
De estilo moscovita del siglo XVII; foi inaugurada em 1904, segundo um projeto original do arquiteto do “Santo Sínodo da Rússia Mihail Preobrazensky” adaptado pelo arquiteto Alejandro Christophersen. 
Na fachada, em mosaico veneziano, há uma representação da Santíssima Trindade realizada em São Petersburgo. 
 
23. "Parque Lezama - Monumento Fuente a don Pedro de Mendoza”, Brasil com Defensa
Foi inaugurado em 23 de junho de 1937 e realizado pelo escultor Juan Carlos Oliva Navarro. O monumento está composto por uma fonte quadrada com duas vertentes que simbolizam o rio Guadalquivir e o Rio da Prata, onde começou e finalizou a expedição. A estátua de Dom Pedro de Mendoza é de bronze e contrasta com um muro revestido de mármore com baixo-relevos que representam uma figura indígena. Pedro de Mendoza aparece cravando a espada no chão como símbolo da tomada de posse das terras. 
 
24. “Parque Lezama” - Pátio de Esculturas e Anfiteatro, Defensa, Brasil, Av. Paseo Colón e Av. Martín García.
Está localizado em um barranco natural. Alguns afirmam que nas imediações teve lugar o primeiro assentamento desta cidade. 
Paul Groussac é contrário a este ponto de vista e diz que teve lugar 
na “Vuelta de Rocha”. 
No final do século XVIII, a Real Companhia das Filipinas instalou no parque o depósito dos negros escravos. No ano de 1806, durante a primeira Invasão Inglesa, o General Beresford entrou pela rua San Martín (hoje Defensa) derrubando as últimas forças locais no “Barranco de Marcó” (hoje Parque Lezama). 
Anos depois, o inglês David MacKinley, instalou sua casa de campo, defronte ao rio. No edifício flamejava a bandeira inglesa e por esse motivo as pessoas se acostumaram a chamá-la “la quinta de los ingleses”. 
Depois de sucessivos donos, no ano de 1857, o comerciante da provincia de Salta, José Gregorio Lezama adquiriu a propriedade, rodeou-a de uma cerca alta de grades de ferro e enriqueceu o ambiente florestal com plantas e árvores exóticas. Cerca de 1871, durante a epidemia de febre amarela, a residência funcionou como “lazareto”. Em 1889, com a morte de Lezama, a viúva Angela Álzaga vendeu a propriedade à comuna com a condição de que fosse transformada em um parque público com o nome de Parque Lezama. 
 
25. Museu Histórico Nacional, Defensa 1600  
Foi fundado em 24 de maio de 1889 e instalado na casa que foi de Gregorio Lezama em 1897. Suas linhas correspondem à arquitetura italiana, vigente entre 1850 e 1880. O patrimônio salienta as tradições da Revolução de Maio, as “Guerras da Independência” e os outros períodos transcendentais da História Nacional do Século XIX. 

Subir