Actualice su navegador
ir al contenido

Rochester Hotel - m

Gastronomia

Quem quiser experimentar diferentes comidas e sabores encontrará em Buenos Aires uma oferta tentadora e na Argentina uma variedade de matizes sem igual.

Asado

A excelência da carne bovina argentina é conhecida em todo mundo. O método mais freqüente para prepará-lo é na grelha, onde as carnes se cozinham horizontalmente, entretanto também é tradicional o "asado a la cruz" ou "al asador", no qual as carnes se dispõem sobre as brasas de modo vertical sustentadas por um armação que costuma ter forma de cruz. O assado deve ficar mal passado e tenro.
Também chama-se de "Asado" a reunião em que se prepara e se serve este prato. É freqüente então escutar frases como: "Convido a um assado". A carne é acompanhada sempre por uma abundante salada de alface, tomate e cebola; de batatas, beterraba, cebola e ovo duro; de rábano e funcho, etc. Pode se adicionar carne de frango, bode ou porco e também "provoletas", uma classe de queijo provolone assado na churrasqueira.
Um churrasco ou "parrillada" costuma estar composto de:

  • ACHURAS (MIÚDOS DE ANIMAIS): miúdos da vaca, de todo tipo: moelas, rins, tripas, lingüiça, chouriço, "chinchulines".
  • "BIFE": é um corte de carne. No geral se cozinha na churrasqueira. O "churrasquito" crioulo se cozinha em óleo com cebola e pimentões. O "bife de chorizo" é uma porção (de 250 g. aproximadamente) de carne sem osso que se cozinha na grelha.
  • "CHIMICHURRI": molho típico do churrasco argentino, uma espécie de molho frio picante de variada composição. Composto principalmente por mesclas de óleo e vinagre com alho, páprica, cebolinha e outras especiarias (por exemplo: alfavaca, orégão). Este molho é adicionado à carne ou aos outros produtos após assados.
  • "CHORIPÁN": sanduíche de lingüiça. Geralmente o pessoal o come ao ar livre, e sempre que vá à quadra de esportes para ver um jogo de futebol. Conhecido popularmente como “chori”. Infaltável no churrasco.

Mascato, Pizza, Fainá

  • "FAINÁ": Massa de farinha de grão-de-bico, dourada, bem fininha e com algumas variantes como agregados (pimentões, cebolinha), que se serve com a pizza.
  • "FUGAZZA": é o nome que lhe dá à pizza com cebola, outro clássico portenho.    
  • "FUGAZZETA": é uma fugazza cuja massa é recheada com mozarela.
  • "PIZZA": prepara-se "al molde" ou "a la piedra", come-se com talheres ou com a mão. O costume é acompanhar o triângulo saboroso com a "fainá". As pizzarias mais famosas estão quase todas na rua Corrientes. Há também lugares novos, modernos com receitas menos tradicionais.
  • "EMPANADAS" (empadas): pastéis de massa recheados –em suas muitas variantes— de carne picada, cebola, pimentão, passas de uva e ovo duro; picantes ou suaves; fritas ou ao forno. Há também de verdura, milho e infinidade de outros recheios. Mas as mais tradicionais são as de carne. Comem-se com a mão e são acompanhadas com vinho tinto.
    As diferentes regiões argentinas têm suas receitas distintivas. Assim, o turista verá locais que oferecem empadas "salteñas" (de Salta), tucumanas (de Tucumán), etc.

Peixe

o de consumo mais corrente é a merluza, mas também a brótola, linguado, corvina, dourado: variedades refinadas e saborosas para escolher. O pejerrey é realmente crioulo, não tem equivalente em águas que não sejam as das costas atlânticas argentinas ou os rios de planície e montanha.

Massas

a cozinha italiana está muito difundida. A criatividade dos chefs se destaca na variedade de molhos e recheios (de peixe, mariscos, cogumelos, abóbora).

Panificação

"faturas" (tipo de doces argentinos), "medialunas" (croissants), churros, pastelzinhos e diversos tipos de pães saborizados. A "factura" é uma massa doce.

Doces

O "vigilante" (similar a Romeu e Julieta) é uma sobremesa tradicional de queijo com doce (de batata-doce ou marmelo).
O doce de leite (leite espessado durante horas com muito açúcar, de consistência pastosa e cor caramelada) utiliza-se em bolos, sorvetes, molhos para sobremesas, bombons e como recheio de tabletes de chocolate. Mas o mais comum é comê-lo com pão, com manteiga ou sozinho, no café-da-manhã e no lanche. Ou comê-lo a colheradas.
Os "alfajores", compostos por dois ou mais biscoitinhos, bolachas ou massa assada, separadas entre si por recheios como geléias ou outros doces, podendo ter um banho ou cobertura exterior. Ao igual que no caso das empadas, cada região da Argentina tem um "alfajor" ou geléia característica para seu recheio.

Vinhos

os argentinos são reconhecidos em toda a região, especialmente o tinto. Destacam-se os varietais de Mendoza e San Juan, zona de Cuyo, mas também se produz em Salta, Neuquén, La Rioja e cada vez mais zonas do país.

Mate

é uma infusão característica. Prepara-se colocando água quente em um pequeno recipiente que leva o mesmo nome que contém erva mate. Algumas pessoas gostam de colocar açúcar; a maioria prefere "um amargo". E é sorvido através de uma "bombilla" que é como um coador, tem uma ponta alargada e cheia de buraquinhos que permite passar a infusão mas não a erva. O mate possui um efeito estimulante devido à "mateína" (como a cafeína do café) que contém.
"Matear" em rondas é toda uma cerimônia com uma linguagem específica, embora —como em toda linguagem— podem dar-se variações segundo o contexto e a região.
Podem-se adicionar outras ervas ("yuyos") à infusão (tanto à água com que é cevado como diretamente a erva mate) para lhe dar um sabor diferente ou com fins medicinais. É comum o agregado de ervas com propriedades digestivas ou calmantes, por exemplo: coca, peperina, poleo, melisa, toronjil, hortelã, "rabo-de-cavalo", incayuyo, chá de burro, absinto, carqueja, anis, etc. No nordeste argentino é freqüente que se acrescente suco de laranja ou casca de laranja ou outros cítricos, alguns acrescentam um pouco de café.
Subir

Rochester M Buenos Aires | Viva Buenos Aires, Cultura, Gastronomia | Reserve Online

Veja também:
www.rochester-hotel.com
|
www.rochester-hotel.com.br
|
www.serenabuzios.com.br
Site seguro.
Copyright Rivotel S.A.